Vargem Alta já tem Mário Louzada, atual presidente do IDAF, como pré-candidato a prefeito

O diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), Mário Louzada (PSB), surge como o mais novo pré-candidato a prefeito de Vargem Alta para as eleições de 2020. A possível pré-candidatura de Mário deixa o eleitor intrigado, uma vez que o PSB já tem um pré-candidato a prefeito na cidade, o vereador Darli Fassarella.

Porém, o presidente regional do PSB capixaba, Carlos Rafael, ameniza a situação e diz que o nome de Mário, assim como Darli, faz parte do quadro qualificado da sigla na cidade e vê com bons olhos que o PSB tenha mais de um postulante a uma candidatura majoritária em Vargem Alta.

“O nosso partido trabalha para ter candidaturas em todas as cidades. Nos alegra saber que em Vargem Alta a gente pode contar com filiados comprometidos e que vão debater, em alto nível, com a sociedade local, projetos de desenvolvimento”, acrescenta o presidente do PSB.

Quanto a uma disputa interna entre os dois pré-candidatos, Rafael acredita que não haverá. Todos são amigos e defensores do mesmo projeto. O fato de haver dois pré-candidatos mostra que há comprometimento com o município. E isso pode fortalecer ainda mais aquele que realmente for para a disputa. “A gente fala em fortalecimento da democracia e ela começa dentro do próprio partido”, afirmou Rafael.

Palácio Anchieta

Mário passa a ter o nome veiculado no bastidor da política local. E, devido ao posto que ocupa no Estado, como diretor-presidente do Idaf, tem uma ligação muito forte com o alto comando do Palácio Anchieta, e pode, sim, se tornar o preferido do partido para uma possível disputa majoritária em Vargem Alta.

Mas todo partido que se preza trabalha com números. A divulgação da pré-candidatura é o primeiro passo para realmente fazer parte desse período pré-eleitoral. Agora, a estratégia passa a ser a viabilidade do nome e como a população vai aceitar essa novidade, para ganhar força, e lá em julho de 2020, no período das convenções partidárias, poder pintar como o nome do PSB para a disputa.

O jogo sucessório começou. Cada partido vem com uma estratégia diferente para viabilizar possíveis candidaturas. O tabuleiro está na mesa e os pré-candidatos começam a mexer as peças para conquistar o carisma do eleitor e traçar a estratégia que poderá ser a vencedora da eleição de 2020. O momento ainda é prematuro, mas todos querem a mesma coisa para outubro de 2020. Dar o xeque-mate e vencer as eleições. E contar com a batuta do Governador, não define, mas pode facilitar o jogo.