Casagrande considera renúncia de Mesa Diretora da Ales ‘coerente’ e ‘racional’

Em entrevista concedida ao portal Folha Vitória na manhã desta sexta-feira (6), o governador Renato Casagrande (PSB), comentou a polêmica que movimentou a Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), nas últimas semanas e classificou a renúncia da reeleição do presidente da Casa, Erick Musso e da Mesa Diretora como ‘coerente’ e ‘racional’.

O cenário de conflito teve início após a eleição antecipada da Mesa Diretora da Casa para o biênio 2021-2023 que ocorreu 400 dias antes da data prevista. A eleição antecipada, no dia 27 de novembro, causou reação interna e com demais órgãos públicos.

Sobre a ação civil pública, ajuizada pela Ordem dos Advogados do Brasil do Espírito Santo (OAB-ES), solicitando a anulação do pleito, o governador afirmou que só vê os aspectos positivos deste tipo de mobilização das instituições.

“Quando a sociedade se mobiliza defendendo as instituições e as regras institucionais, é só positivo. Então, os movimentos de entidades com OAB, Transparência Capixaba, as igrejas, sociedade, cidadão, cidadã, isso enriquece muito a política. É bom que nós, representantes das instituições, possamos ficar sabendo que a sociedade está vigilante sobre nós”, afirmou.

Questionado sobre a renúncia da Mesa Diretora, o governador disse acreditar que trata-se de um movimento para fortalecer a instituição. Casagrande relembrou que alertou os parlamentares sobre os riscos de uma eleição antecipada.

“Acho que a Assembleia começa a fazer um caminho racional e coerente para que a instituição seja preservada. Eu disse que aquele movimento (de eleição antecipada) fragilizaria a instituição. Acho que os parlamentares compreenderam isso e fizeram o caminho de volta para fortalecer a instituição, que é importantíssima para nós”, finalizou o governador.

Deputados dizem que nova eleição pode acontecer 

Quatro deputados estaduais ingressaram, nesta quinta-feira (05), com um mandado de segurança no Tribunal de Justiça do Estado (TJES) contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 28/2019, que permite a antecipação da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (Ales).

Os parlamentares autores da ação são Sérgio Majeski (PSB), Dary Pagung (PSB), Iriny Lopes (PT) e Luciano Machado (PV). Todos eles votaram contra a chapa única, encabeçada pelo presidente da Ales, Erick Musso (Republicanos), na eleição da Mesa Diretora realizada no último dia 27.

Fonte: Folha Vitória.