Skin Positivity: elas se assumem e mudam a forma de utilizar as redes sociais

O mundo nas redes sociais, muitas vezes, parece conto de fadas: pessoas bonitas, mulheres aparentemente sem qualquer falha na pele, cheias de filtros e maquiagens de alta cobertura, em poses e looks impecáveis. Os problemas passam longe de qualquer post do dia a dia. Mas um movimento vem se destacando nos últimos dias, o Skin Positivity (positividade da pele). Em resumo: nem toda pele é perfeita. E tudo bem por isso.
O Skin Positivity traz essa polêmica. Influenciadoras digitais de várias partes do mundo estão compartilhando fotos com a realidade de suas peles, seja ela com acne, rosácea ou dermatite atópica.
Mais do que assumir um problema e lidar com ele publicamente, as influenciadoras estão levantando debates e dando dicas de tratamentos. Para a médica dermatologista de Cachoeiro de Itapemirim, Roberta Goltara, a iniciativa é válida e acende um sinal de alerta. “Não é um recado para deixarmos de cuidar da pele. O Skin Positivity está mais relacionado com aceitação. Como dermatologista posso garantir que cada dia temos mais medicamentos, cosméticos e tecnologias para deixar sua pele saudável e linda”, comentou Roberta Goltara.
A médica ainda alerta: “As “skin Posi” – meninas que compartilham suas fotos naturais – não deixam de cuidar da pele só porque aceitaram suas marcas, elas mantém a rotina de cuidados e ainda compartilham dicas”.
Confira alguns perfis que seguem essa tendência:

  • Gabriela Mour (@brielamour89)
  • Lou Northcote (@lounorthcote)
  • Whitney Maduke (@whitneymadueke)
  • Sofia Grahn (@isotretinoinwiths)