Estado libera empréstimo de até R$ 31,5 mil para MEI, autônomos e micro e pequenas empresas

São duas linhas de crédito que tem como objetivo manter o negócio capixaba em funcionamento e evitar demissões

Um mês depois do Governo do Estado anunciar R$ 100 milhões para empréstimo, começa a liberação de crédito para Microempreendedores Individuais (MEI), trabalhadores autônomos e micro e pequenas empresas no Espírito Santo.

Para muitos, uma oportunidade de respirar mais aliviado. A microempreendedora Thaís Fardim Oaski, por exemplo, ganha a vida com uma pequena loja de bolos. O talento como confeiteira e a visão de empreendedora fizeram o negócio decolar. Mas, depois do fechamento do comércio, a loja só atende por delivery. Mesmo assim está precisando de um reforço no caixa, pois as vendas por aplicativo são recebidas somente após 30 dias das vendas.

Assim que ficou sabendo da possibilidade de pegar o dinheiro emprestado com facilidade para pagar, Thaís resolveu concorrer ao empréstimo e já sabe exatamente o que vai fazer com o dinheiro. “Esse empréstimo será bom para garantir o aluguel. Já que o dinheiro fica no aplicativo, vou usar para manter a loja e ter o giro que vou receber no mês seguinte”, disse

A Thaís vai concorrer a uma das duas linhas de crédito que o Governo do Estado abriu para socorrer os empreendedores e as micro e pequenas empresas. São R$ 100 milhões do Tesouro Estadual, que vão ser emprestados pelo Banestes, com um fundo de aval do Bandes. Quase um mês depois do anúncio, o crédito finalmente está liberado para receber as propostas dos tomadores de empréstimo.

Na primeira linha de crédito, o público-alvo são os microempreendedores individuais (MEI) e o trabalhador autônomo cadastrado, com receita bruta de até R$ 81 mil por ano. Por essa linha, é possível pegar até R$ 5 mil emprestados, com carência de 6 meses para começar a pagar, e prazo de 24 meses para quitar a dívida, sem cobrança de juros.

A segunda linha de crédito é para microempresas e empresas de pequeno porte, que faturam até R$ 360 mil por ano. Nessa linha, o empréstimo pode ser de até R$ 31,5 mil, também com carência de 6 meses, e prazo de 48 meses para pagar. A taxa de juros é de 3,75% ao ano. O objetivo do empréstimo é ajudar os empreendedores a manter a folha de pagamento em dia, sem demitir nenhum funcionário.

O diretor de Negócios e Recuperação de ativos do Banestes, Marcos Vinícius Nunes Montes, explica que para os microempreendedores e autônomos, é necessário ter ou abrir uma conta no Banestes, o que pode ser feito pela internet, na mesma página de se cadastrar para o empréstimo. O endereço é o www.aderes.gov.br/nossocredito.

“É importante que o MEI procure esse site para fazer o contato com o agente de crédito, para receber as orientações de como proceder. Ele ainda pode abrir esta conta em nosso banco pelo nosso aplicativo, de forma totalmente virtual. Não vá, de início, à uma agência, para evitar aglomerações”, disse.

Já para a segunda linha de crédito, além de ser correntista do Banestes, o empresário deve ter a folha de pagamento dele no banco, entre outros requisitos. “No caso desta linha, é destinada ao pagamento de salários e é importante que o empresário apresente a regularidade fiscal. No momento da liberação dos recursos, será destinado ao empregado”, explicou.