Pesquisa: 65% avaliam como boa, ótima ou regular a atuação de Casagrande na pandemia

O Instituto de Pesquisas Opinião realizou um levantamento por telefone nos dias 26 e 27 de março, em 29 municípios capixabas, de norte a sul do Espírito Santo, para saber como a população tem avaliado a gestão da pandemia por parte do governador Renato Casagrande e do presidente Jair Bolsonaro. O levantamento apontou que 65% avaliam como ótima, boa ou regular a condução de Casagrande durante a pandemia (ver números detalhados abaixo).

Foram 606 entrevistados, sendo 54,99% na Grande Vitória; na região Noroeste 9,93%; Litoral Norte 14,13%; Central 8,72%; Sul 12,24%. Desses, 52% foram públicos feminino e 48% masculino, entre 16 e 60 anos ou mais idade. Estatístico Responsável pela amostragem é Gabriel Torres Pinto, Conre 8198.

As perguntas feitas foram as seguintes:

– Como você avalia a atuação específica do Governador Renato Casagrande nas ações sobre a COVID?

– Como você avalia a atuação específica do Presidente Jair Bolsonaro nas ações sobre a COVID?

– Você é favorável ao período de quarentena decretada pelo Governo do Estado ampliado até 04 de abril?

– Sobre o medo de ser infectado pelo coronavírus, você diria que tem: muito; pouco; não tem; não sabe;

– Se for necessário, você é a favor de um período de lockdown em todo o Estado do Espírito Santo?

Números apontam que medidas restritivas são necessárias

A pesquisa aponta que 65% da população acredita que a maneira como o governador Renato Casagrande vem conduzindo o enfrentamento ao coronavírus no Espírito Santo é boa, ótima ou regular.

Quando perguntado “Como você avalia a atuação específica do Governador Renato Casagrande nas ações sobre a COVID?”, 24% dos entrevistados disseram que é “ótima” a postura do governador; 25% avaliam como “bom”; 16%, regular; 11% ruim; e 19% péssima. Outros 6% não souberam responder.

O levantamento acontece em um momento crítico, em que o Estado enfrenta um dos piores momentos da pandemia e que exigiu do governador a adoção de medidas restritivas mais rígidas, implantando o sistema de quarentena em todo o Espírito Santo. Apesar de protestos pontuais, de setores e grupos organizados em algumas cidades, inclusive, na capital Vitória, a maioria da população aprova como Casagrande vem conduzindo os trabalhos.

Isso demonstra que os protestos e ataques que o governador vem sofrendo podem estar estritamente ligados a grupos e partidos políticos que insistem em politizar um problema que é de saúde pública. E, apesar de fazerem barulho, não correspondem com o sentimento de toda a população.

53% dos capixabas consideram ruim e péssima a forma como Bolsonaro conduz o enfrentamento da pandemia

A população capixaba não anda nada satisfeita com a postura do presidente Jair Bolsonaro frente a pandemia. A pesquisa revela que 53% consideram ruim ou péssima condução de Bolsonaro.

Quando perguntado “Como você avalia a atuação especifica do Presidente Jair Bolsonaro nas ações sobre a COVID?”, 41% dos entrevistados responderam que é “péssima”. Outros 12% acham “ruim”; 13% regular; 11% boa; e 20% ótima. Apenas 3% não souberam responder.

População capixaba aprova quarentena e é favor de lockdown, caso necessário

Outro dado bastante interessante é em relação ao sentimento da população frente as medidas restritivas, principalmente à necessidade de prorrogar a quarentena até o dia 4 de abril e também em adotar o sistema de lockdown, caso o número de mortes não reduza e continue sem vagas nos leitos de UTI.

O levantamento aponta que 62% dos entrevistados são favoráveis a prorrogação da quarentena. Outros 26% responderam que s55ão contrários; 9% apoiam em parte e 3% não soube responder.

Perguntados se seriam favoráveis caso fosse necessários adotar o sistema de lockdown, o índice é ainda maior: 71% disseram que sim; 23% são contra e 7% não soube responder.

Maioria tem “muito medo” de pegar coronavírus

A pesquisa perguntou também qual o receio das pessoas em relação a contrair o coronavírus. A maioria, 46%, disse que tem muito “medo”. Outros 40% alegam que tem “um pouco de medo”; apenas 14% diz que não tem medo e 1% não soube responder.

Metodologia

A Metodologia de Pesquisa utilizada foi a Quantitativa Probabilística, que engloba medições pontuais realizadas por telefone junto a amostra representativa do universo de cidadãos com acesso a linha telefônica tradicional (30% da amostra) e telefones celulares (70% da amostra) num universo com representatividade significativa na região pesquisada. A margem de erro é de 4% para mais ou para menos.

Municípios onde aconteceram as entrevistas:

Afonso Cláudio, Domingos Martins, Alegre, Guaçuí, Barra de São Francisco, Ecoporanga, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Colatina, Baixo Guandu, Anchieta, Guarapari, Itapemirim, Marataízes, Aracruz, Linhares, Montanha, Pinheiros, Nova Venécia, São Gabriel da Palha, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Conceição da Barra, São Mateus, Cariacica, Serra, Vila Velha, Vitória, Viana.

PODER365