Deputado do PSL defende saída de Eduardo Bolsonaro da presidência do partido em São Paulo

O deputado Coronel Tadeu (SP), um dos expoentes do PSL na Câmara, defende que o líder do partido na Casa, deputado Eduardo Bolsonaro (SP), deixe a presidência da executiva estadual do partido em São Paulo.

“No momento em que o Eduardo já vai migrar para um partido num futuro bem próximo, por que ficar ainda na presidência da executiva estadual? Eu faria essa pergunta”, afirmou Coronel Tadeu ao blog.

“Por que ainda ficar na executiva estadual de São Paulo? Seria muito mais ético que ele simplesmente deixasse o cargo e a equipe toda dele. Deixasse o Partido Social Liberal seguir a vida dele”, completa o parlamentar.

Eduardo Bolsonaro vai deixar o PSL e seguir para um novo partido a ser criado pelo pai, o presidente Jair Bolsonaro, o Aliança pelo Brasil, que agrupará dissidentes do PSL.

Os desentendimentos da família Bolsonaro com o PSL, partido que abrigou o presidente nas eleições de 2018, começaram no início de outubro. Na ocasião, Bolsonaro disse a um eleitor para “esquecer” o PSL e afirmou que o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar (PE), estava “queimado”.

O momento mais conturbado, contudo, aconteceu durante a chamada “guerra das listas” pela liderança do partido na Câmara.

A “guerra” de listas foi motivada pela crise interna do partido, que opôs a ala ligada ao presidente, que defendia Eduardo Bolsonaro como líder, ao grupo ligado a Bivar, que preferia a permanência de Delegado Waldir (GO) como líder.